Sobre

Bem-vindo!

Este é o blog do Projeto REA-Br e da Comunidade REA-Br.

REA são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa em qualquer suporte ou mídia que estejam sob domínio público ou licenciados de maneira aberta, permitindo que sejam utilizados ou adaptados por terceiros. O uso de formatos técnicos abertos facilita o acesso e o reuso potencial dos recursos publicados digitalmente. Recursos Educacionais Abertos podem incluir cursos completos, partes de cursos, módulos, livros didáticos, artigos de pesquisa, vídeos, testes, software, e qualquer outra ferramenta, material ou técnica, que possa apoiar o acesso ao conhecimento.

O Projeto Brasileiro sobre Recursos Educacionais Abertos: Desafios e Perspectivas (Projeto REA-Br) teve início em 2008 com a visita de uma delegação internacional ao Ministério da Educação e com a realização de uma série de eventos de sensibilização em São Paulo e Brasília.

O projeto REA-Br foi fundado por Carolina Rossini em 2008 e é um dos primeiros projetos no Brasil que tenta apropriar à realidade e às perspectivas brasileiras a discussão internacional acerca dos Recursos Educacionais Abertos (REA) e da Educação Aberta. Mas isso não seria possível sem o apoio de uma entusiasmada comunidade: a Comunidade REA-Brasil. Essa comunidade e formada por educadores, cientistas, engenheiros, profissionais de TICs, jornalistas, advogados e todos aqueles que acredita em educação aberta e recursos educacionais abertos.

No Brasil, o projeto possui parcerias ou recebe apoio institucional do Instituto Educadigital, Casa de Cultura Digital, da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, da UNESCO, entre outros. Internacionalmente, o projeto e financiado pelo Open Society Foundations e possui parceria com diversos projetos e iniciativas focadas em Recursos Educacionais Abertos.

Recursos Educacionais Abertos

Recursos educacionais abertos são bens educacionais e recursos oferecidos livremente e abertamente para qualquer pessoa usar e, sob algumas licenças, adaptar, melhorar e distribuir. Recursos educacionais abertos incluem:

* Conteúdo de aprendizado: cursos completos, materiais de cursos, tópicos de um conteúdo, temas de aprendizagem, coleções e periódicos.

* Ferramentas: software para auxiliar a criação, entrega, uso e melhoria do conteúdo de aprendizagem aberto, incluindo busca e organização do conteúdo, sistema de gerenciamento de conteúdo e de aprendizagem, ferramentas de desenvolvimento de conteúdo, e comunidades de aprendizado online.

* Recursos para implementação: licenças de propriedade intelectual para promover a publicação aberta de materiais, estabelecer princípios e localização de conteúdo.

Junte-se a esta comunidade – que vem de todo o Brasil – na busca e construção de uma educação mais democrática, inclusiva e mais próxima da cultura colaborativa da Internet!

Projeto REA-Brasil: Quem somos

Carolina Rossini

Carolina Rossini é advogada, consultora e professora de Propriedade Intelectual e Direito da Internet, tendo ministrado palestras no Brasil e no exterior. Conduz trabalhos pro-bono para instituições que almejam desenvolver estratégias em torno dos “commons”, inovação aberta e acesso ao conhecimento. Fundou e coordena o Projeto REA-Br desde 2008. Em 2011, juntou-se ao GPOPAI-USP  como senior fellow com foco em política de inovação e acesso ao conhecimento. Foi nominada para o Global Council Agenda em Propriedade Intelectual do Forum Economico Mundial  (mandato 2011-2012) e é diretora do Instituto Brasileiro de Direito da Internet. Trabalhou para a Wikimedia Foundation coordenando o projeto Brasil Catalisador.  De 2008 a 2010 foi fellow do Centro Berkman para Internet e Sociedade, da Universidade de Harvard, onde coordenou o Projeto de Pesquisa de “Cooperação Industrial” (1) (2), sob orientação do Prof. Yochai Benkler. Rossini também é pesquisadora associada da Diplo Foundation e autora do curso sobre propriedade intelectual daquela Fundação. De 2005 a 2007, Carolina trabalhou no CTS da FGVDireito Rio, onde foi membro do Creative Commons Brasil, professora e fundou e coordenou o Programa de Clínica Jurídica. Foi consultora da fundação Ford para a Iniciativa Internacional em Propriedade Intelectual. De 1999 a 2005, Carolina foi advogada no grupo de telecomunicações Telefonica no Brasil, com atuação no Brasil e na Espanha e foco em novos negócios para a Internet, incluindo transações na area de direito autoral, e-commerce, publicidade, imagem, distribuição de conteúdos como musica e imagem na Internet, entre outros.

Carolina é mestre, com distinção, em propriedade intelectual pela Universidade de Boston (2008); mestre em Negociações Internacionais pelo programa Santiago Dantas UNESP-UNICAMP-PUCSP (2006); é especialista em Propriedade Industrial pela Universidade de Buenos Aires (2006);  MBA em E-Business pelo Instituto de Empresa – IE, na Espanha (2004) e advogada pela Universidade de São Paulo (2000).

Débora Sebriam

Educadora, mestre em Engenharia de Mídias para a Educação pela Universidade Técnica de Lisboa, Université de Poitiers e Universidad Nacional de Educación a Distancia de Madri. Atua com integração de tecnologias ao currículo, tecnologias e formação de professores, inovação pedagógica e gestão de redes sociais. É integrante da equipe do Instituto Educadigital. Faz parte da comunidade de  Recursos Educacionais Abertos Brasil. É integrante da Comissão de Crimes de Alta Tecnologia da OAB-SP. Coordena os projetos de Recursos Educacionais Abertos e Uso Seguro e Ético da Internet no Centro Educacional Pioneiro. Ministra workshops e oficinas sobre o uso de tecnologia na educação.

Priscila Gonsales

Jornalista, apaixonou-se pela educação no final da Faculdade Cásper Líbero, em 1996, quando seu projeto experimental “Mirabolante”, um jornal sobre museus para crianças foi impresso e distribuído pela Imprensa Oficial do Estado de S. Paulo para 6 mil alunos de escolas da rede estadual paulista. Já formada, atuou em projetos educativos como Estadão na Escola e fez pós-graduação em Gestão de Processos Comunicacionais na ECA-USP. Atualmente finaliza o máster em Educação, Família e TIC pela Universidad Pontifícia de Salamanca/ES. Passou por escolas privadas como o Colégio I.L.Peretz e trabalhou durante 2 anos no Programa Crer Para Ver, então da Fundação Abrinq e Natura. Em 2001 foi convidada para criar no Cenpec o núcleo de jornalismo educativo do ainda incubado Portal EducaRede Brasil, uma iniciativa da Fundação Telefônica presente em 8 países. Em 2005 assume a coordenação-executiva do Educarede que passa a ser considerado Programa EducaRede por desenvolver projetos de formação de educadores, comunidades virtuais de aprendizagem entre escolas, e elaboração de materiais didáticos de apoio, eletrônicos e impressos.

Bianca Santana

Bianca Santana é jornalista e pesquisa os usos das  Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação de  Jovens e Adultos (EJA). Faz parte da comunidade de  Recursos Educacionais Abertos e da Casa da Cultura Digital.  Atualmente, é mestranda em Educação na Universidade de  São Paulo. Formada pela Faculdade Cásper Líbero, foi  professora de Língua Portuguesa na EJA, e já colaborou com  a edição de livros e objetos educacionais multimidia nas editoras Ática e Moderna. Foi blogueira do Portal Planeta Sustentável, da Editora Abril, onde também publicou reportagens e resenhas de livros infantis. Ministrou oficinas de como utilizar os recursos da internet na escola para professores da rede municipal de São Paulo. Trabalhou em projetos de cultura digital para o Ministério da Cultura. Tem experiência no uso de tecnologias digitais no ensino de Língua Portuguesa, na produção e edição de roteiros multimídia, na edição de textos acadêmicos e infantis e na coordenação de projetos para a Internet. É ativista da cultura livre e mãe do Lucas e do Pedro.


%d bloggers like this: