Posts filed under ‘Politica Publica REA’

Open Education Week 2012

Esforços para expandir o acesso à educação e ao conhecimento reunidos num evento global.

O OpenCourseWare Consortium anuncia a Primeira Semana Mundial da Educação Aberta, de 5 a 10 de março de 2012. A Semana Mundial da Educação Aberta (Open Education Week) é um evento anual e global que objetiva à conscientização no que diz respeito aos benefícios do compartilhamento livre e aberto na educação e, em particular, em relação aos Recursos Educacionais Abertos (REA). Recursos Educacionais Abertos são materiais educacionais de alta qualidade, distribuídos de forma aberta e livre de custos e que oferecem a pessoas de qualquer parte do mundo a oportunidade de compartilhá-los, utilizá-los, adaptá-los, traduzi-los e reutilizá-los.

“A visão do movimento da educação aberta é a de criar um mundo em que o desejo de aprender seja plenamente realizável através da oportunidade de assim o fazer, de modo que qualquer pessoa em qualquer lugar possa ter acesso a oportunidades adequadas sob o ponto de vista educacional, cultural e financeiro que lhes proporcionem obter os conhecimentos que desejem. O movimento engloba a produção, compartilhamento, utilização e modificação de conteúdos, bem como modelos educacionais inovadores”, disse Mary Lou Forward, Diretora Executiva do OpenCourseWare Consortium. “A Semana Mundial da Educação Aberta exibirá projetos, recursos, pessoas e ideias para que pessoas de todo o mundo possam ver a extensão de tudo o que já foi realizado até agora e participar das discussões acerca do futuro do movimento”.

A Semana Mundial da Educação Aberta está sendo coordenada pelo OpenCourseWare Consortium. O evento acontecerá online e em diferentes lugares do mundo, com oportunidades de participação em webinars, discussões e eventos ao vivo. Os projetos e eventos serão apresentados por instituições e organizações do mundo todo, tais como: University of Cape Town, University of Michigan, Universidad Politécnica de Madrid, University of Califórnia, Irvine, Delft University of Technology, Unisul, and Creative Commons.

O Projeto REA Brasil participará em dose dupla, com intervenções de Carolina Rossini e Débora Sebriam, nos dias 07 e 08/03.

(Clique para ampliar)

(Clique para ampliar)

Veja a programação completa aqui.

Fonte: OCW Consortium e tradução de Murilo Matos Mendonça que gentilmente traduziu o release e publicou na comunidade REA.

25/02/2012 at 14:36 4 comentários

Projeto de Lei nº 989/2011 – Recursos Educacionais

O Projeto de Lei nº 989/2011, que institui política de disponibilização de Recursos Educacionais comprados ou desenvolvidos por subvenção da administração direta e indireta estadual, foi publicado no Diário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, página 13 em 14/10/2011. O projeto foi apresentado pelo Deputado Simão Pedro e foi desenvolvido em parceria com a equipe REA Brasil.

Este é um passo importante para a otimização de recursos públicos, um dos princípios da Administração Pública e para garantir inclusão social por meio de uma educação aberta e inclusiva.

O projeto incentiva uma forma de disponibilização de Recursos Educacionais, para que os mesmos possam ser adaptados/melhorados à realidade de quem os usa. É uma colaboração coletiva a um material já existente, resultando em outras formas de mídia, adaptações colaborativas do texto, além, de avanços muito mais céleres em pesquisas do interesse de todos.

É a idéia presente no chamado “Creative Commons”, com a ideia raiz que muitas pessoas podem pensar melhor sobre um determinado assunto, agindo colaborativamente em busca de melhoras para todos.

Você pode fazer o download do Projeto de Lei completo aqui.

19/10/2011 at 12:52 Deixe um comentário

“Expert Group Meeting: UNESCO/COL Guidelines on OER in Higher Education”

Tel Amiel (Unicamp/ Comunidade REA) e Bianca Santana (REA-Brasil/ Comunidade REA) estão participando do encontro para produzir recomendações para a promoção de recursos educacionais abertos no ensino superior.

Sally Johnstone (Winona University), Bianca Santana e Tel Amiel

Veja abaixo a programação e os participantes da reunião:

Taking OER beyond the OER Community: Policy and Capacity

4 July 2011

Room VII, UNESCO Fontenoy
7, place de Fontenoy 75007 Paris

9:30

Opening Panel:
Chair : Sir John Daniel, CEO and President,
Commonwealth of Learning (COL)

  • Opening and Welcome :
    Mr Indrajit Banerjee,
    Director, Knowledge Societies Division, Communication and Information Sector, UNESCO

Ms Stamenka Uvalic-Trumbic,
Chief, Section for Higher Education, Education Sector, UNESCO

  • Setting the Scene: Purpose of this Document
    Sir John Daniel,
    CEO and President, Commonwealth of Learning (COL)

10:45

Tea/Coffee Break

11:00

Working Group Session1: Review of the Guidelines by Stakeholder Section

  • Group 1 – Governments
  • Group 2 – Institutions
  • Group 3 – Teaching Staff and Student Bodies
  • Group 4 – Quality Assurance Bodies and Recognition Bodies

13 :00

Lunch Break

14:30Plenary: Report Back From the Working Group Session

16:00

Tea/Coffee Break

16:30Plenary: Next Steps

17:00Closing

ANNEX I –

Proposed Groups for the Working Session ‘Review of the Guidelines by Stakeholder Section’

Title First Name Last Name Institution Country Region Stakeholder Group
Ms Bianca Santana OER Brazil Brazil LAC Government/
Insitutions
Mr Minh Do Ngoc Viet Nam Foundation Vietnam Asia Pacific Government
Ms Svetlana Knyazeva UNESCO, Moscow Moscow Europe IGO
Ms Catherine Ngugi OER Africa Kenya Africa Government/
Insitutions
Dr

Helen Francis

Seaman Dominica State College Dominican Republic LAC Government/
Insitutions
GROUP 2 – Institutions
Dr

Gráinne

Conole Open University/
OPAL
United Kingdom Europe Teaching Staff
Prof Peter Donkor College of Health Sciences of the University of Science and Technologies Kumasi Ghana Africa Institution
Ms Pamela Dottin Open University of the West Indies Jamaica LAC Institution
Ms Jenny Glennie SAIDE South Africa Africa Institution
Dr Sally Johnstone Winona University USA Europe Teaching Staff
Dr Ninnat Olanvoravuth ASAIHL Thailand Asia Pacific Insitutions
Mr Tel Amiel tamiel@unicamp.br Brazil LAC Institution
Ms Jutta Treviranus Inclusive Design Research Centre and Inclusive Design Institute, OCAD University Canada Europe Institution
Ms Nevena Vuksanovic ESU Serbia Europe Students
Dr Freda Wolfenden Open University, UK (TESSA Project) United Kingdom Europe Teaching Staff
GROUP 4 – QAA Bodies/Recognition Bodies
Dr Nadia Badrawi ANQAHE Egypt Arab States QAA
Mr Kevin Guillaume NARIC – Belgium Francophone Community Belgium Europe Recognition Body
Dr Antony Stella Australian Universities Quality Agency (AUQA)/ APQN Australia Asia Pacific QAA

04/07/2011 at 10:43 Deixe um comentário

REA na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo

Texto do Estadão, publicado originalmente em: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110606/not_imp728448,0.php

SP vai colocar todo seu material pedagógico na internet

Para utilizar as obras, internautas deverão citar a fonte e não poderão fazer uso comercial

Mariana Mandelli – O Estado de S.Paulo

A partir de amanhã, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo vai colocar todo o seu material pedagógico na internet com a licença Creative Commons. Ou seja: o download das obras de todos os programas e projetos da pasta estará disponível no site da secretaria para quem quiser, desde que a fonte seja citada e o uso não seja para fins comerciais. O endereço é http://portalsme.prefeitura.sp.gov.br.

A ideia surgiu porque, desde que o Programa Ler e Escrever passou a ser implementado, em 2006, a pasta passou a receber solicitações de municípios e Estados de todo o País interessados em utilizar o material. O programa objetiva melhorar as habilidades de leitura e escrita dos alunos do ensino fundamental da rede municipal paulistana.

“Não tínhamos uma forma adequada de licenciar tudo isso”, disse o secretário Alexandre Schneider. “Começamos a pesquisar e achamos interessante o seguinte: como temos os direitos daquilo que foi desenvolvido, porque foi criado na própria secretaria, entendemos que seria correto fazer um licenciamento que permitisse que qualquer um pudesse utilizar e adaptar os materiais nos quais já tínhamos gasto nossos recursos.”

Segundo o secretário, a pasta optou por esse tipo de licença porque ela permite que o usuário utilize o material do jeito que bem entender. “Ela possibilita que quem queria usar recorte, cole e anexe tudo ou partes do material, desde que coloque a fonte e o novo material produzido não gere lucro.”

Obras. Entre os materiais que estarão disponíveis no portal da secretaria há obras para todos os temas que a pasta aborda em suas políticas públicas: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, educação especial, informática educativa, educação étnico-racial, cadernos de orientação didática e livros voltados para a recuperação em língua portuguesa e matemática. Além disso, as orientações curriculares para educação infantil e ensino fundamental, as orientações didáticas para Educação de Jovens e Adultos (EJA) e as obras do Programa Ler e Escrever também vão estar online para o público interessado.

Schneider acredita que, dessa forma, a secretaria vai compartilhar o conhecimento produzido com outras cidades. “Existem municípios que não têm condições de desenvolver esses materiais”, disse.

Inovação

ALEXANDRE SCHNEIDER
SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DE SP

“A discussão dos recursos educacionais abertos é um debate de ponta que existe nas principais universidades.”

06/06/2011 at 16:32 Deixe um comentário

Governo argentino tem proposta de criação de repositório aberto

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação da Argentina apresentou um projeto de lei que propõe a criação de repositórios de acesso aberto para a publicação de pesquisas nas áreas de ciência e tecnologia. A proposta está no congresso argentino e a ideia é maximizar o impacto dos investimentos públicos do país em pesquisas.

Além da criação dos repositórios, o projeto prevê o estabelecimento de políticas de acesso público aos dados das pesquisas, incluindo formas de administração do conteúdo. Todas as pesquisas primárias, os documentos e os dados produzidos com a verba desse ministério deverão apresentar soluções acerca da forma com que o material será disponibilizado abertamente e a garantia de que os resultados também poderão ser publicados e utilizados livremente – sem prejuízo dos direitos legais dos autores.

Para ler o projeto na íntegra (em espanhol) e conhecer os nomes dos deputados proponentes, clique aqui.

24/05/2011 at 21:40 Deixe um comentário

Mil estudantes de Ohio receberão e-books livres

O sistema universitário de Ohio, nos EUA, anunciou recentemente uma parceria com a plataforma de conteúdo aberto Flat World Knowledge. O projeto piloto distribuirá livros digitais didáticos a mil estudantes, sendo que os formatos (para vários tipos de e-books e também em áudio) podem ser escolhidos pelos próprios alunos. Os que preferirem o material impresso, terão, a um baixo custo, como é política da Flat World Knowledge.

As licenças dos livros foram custeadas pela Ohio Board of Regents, organização que monitora as condições da educação superior em Ohio e incentiva a aplicação de iniciativas inovadoras – principalmente com foco na redução de custos dos cursos para os estudantes universitários.

Para mais informações, acesse: http://ohiotextbookhq.ning.com/

02/05/2011 at 21:00 Deixe um comentário

Como ficam os repositórios do MEC com a extinção da SEED?

A Secretaria de Educação a Distância (SEED) foi extinta pelo MEC neste novo governo. A medida faz parte de um processo de reestruturação ainda em andamento, segundo a assessoria do próprio Ministério. Não se sabe, ainda, o que ocorrerá com os projetos desenvolvidos por essa secretaria, apesar de a matéria publicada na Folha Dirigida anunciando o corte conter a informação de que nada será interrompido, mas sim remanejado.
Vários projetos dessa pasta – como o Portal do Professor (http://portaldoprofessor.mec.gov.br)- estavam a caminho de uma configuração REA. Por isso, tentamos contato com o MEC para descobrir se esse caminho será prejudicado, que planos existem para a educação a distância no país, como está sendo feita a avaliação para a escolha de licenças abertas dos projetos sob tal pasta e a serem contratados no futuro pelo governo etc. Por conta da reestruturação em andamento, segundo representantes do MEC que estavam vinculados à SEED, não há ainda respostas claras para essas questões.
Especificamente, na data de publicação deste post,  existiam 7932  objetos educacionais publicados no Portal do Professor (http://portaldoprofessor.mec.gov.br/recursos.html). O guia do usuário destes objetos afirma que “Todos os recursos publicados no Portal do Professor podem ser baixados – em seu computador, pendrive, CD, DVD ou outros – copiados e distribuídos, sendo vedada qualquer utilização com finalidade lucrativa”. Contudo, cada material possui sua própria licença, e nem todas estão em Creative Commons.
Desde 2008, o projeto REA vem conversando com o MEC (houve, inclusive, uma reunião com o Ministro Haddad: http://rea.net.br/2010/08/19/audiencia-sobre-rea-no-ministerio-da-educacao/) para tentar ajudar no processo de licenciamento aberto e na estruturação de uma política de propriedade intelectual aberta para projetos e compras realizadas por eles. Esperamos seguir colaborando com o Ministério na nova configuração.
Nós do projeto REA estamos à disposição do MEC para auxiliar neste caminho rumo à educação aberta, inclusiva, e que se desenvolva claramente sob a bandeira de que recursos educacionais pagos com investimento público devem ser licenciados abertamente para a sociedade – que, no final, é quem paga os impostos que sustentam tal ciclo de criação.

04/03/2011 at 8:45 Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Folder

Categorias

Copie, remixe, melhore!

Atualizações do Twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.